Home / Notícias / Comunidade do Bela Vista do Chibarro requer tombamento de construções históricas

Comunidade do Bela Vista do Chibarro requer tombamento de construções históricas

Assentamento rural em área federal aguarda liberação do termo de concessão de uso junto ao Incra

 A Coobela – Cooperativa Agropecuária do Assentamento Bela Vista do Chibarro, aguarda o termo de cessão de uso pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – Incra, para que a concretização do tombamento do patrimônio histórico-arquitetônico junto aos órgãos de proteção do patrimônio seja efetivada e permita a utilização do Casarão da antiga fazenda, como equipamento público destinado para atividades culturais pela comunidade e para o desenvolvimento do Turismo Rural, já que no entorno existem dois terreiros de café e a Igreja São Judas Tadeu, além de uma reserva ambiental, que precisam ser preservados. Ao contrário do que foi divulgado, o termo de cessão de uso, ainda não foi liberado.

Outro inquérito civil distinto junto ao Ministério Público Federal – MPF, se refere a tomada de medidas protetivas para preservação da Igreja São Pedro, o Estádio Comendador Freitas, Obelisco e a Praça Pedro Morganti, localizados na em área particular da Usina Tamoio, desmembrada para formar o assentamento.

Em Bueno de Andrada, bens materiais imóveis localizados na vila urbanizada e no assentamento rural estadual Horto de Bueno, estão relacionados em inquérito civil público do Ministério Público Federal – MPF, junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan. Neste caso, o termo de cessão de uso de área localizada no assentamento está requerido junto a Fundação Itesp – Instituto de Terras do Estado de São Paulo.

Embora distintos, os três processos, tratam da preservação de patrimônio do Brasil, quer seja acautelado em âmbito do município, Estado ou pela União, localizados no meio rural de Araraquara, onde vivem cerca de 3 mil agricultores e trabalhadores rurais.