Home / Notícias / Em comemoração à Semana da Voz, docente da Uniara ministra palestra sobre seu uso em sala de aula

Em comemoração à Semana da Voz, docente da Uniara ministra palestra sobre seu uso em sala de aula

Maria Lúcia Dragone fala sobre o Dia Mundial da Voz e sobre cuidados para que ela permaneça saudável

A docente do curso de Pedagogia e do Mestrado Profissional em Educação: Processos de Ensino, Gestão e Inovação do Centro Universitário de Araraquara – Uniara, além de fonoaudióloga da Clínica de Fonoaudiologia da instituição e membro do Conselho Administrativo da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia – SBFa, Maria Lúcia Dragone, irá ministrar uma palestra sobre o uso da voz em sala de aula, no dia 20 de abril, das 14h30 às 15h30, no Sesi Araraquara (avenida Octaviano Arruda Campos, 686 – Jardim Floridiana), para professores do local. A atividade será realizada em comemoração à Semana da Voz, cujo Dia Mundial da Voz será celebrado neste sábado, dia 16 de abril.

“Trata-se de uma comemoração para despertar nas pessoas o cuidado com a própria voz – manter a saúde vocal é manter a capacidade de comunicação humana – e manter a qualidade de vida!”, ressalta Maria Lúcia, mencionando o slogan da campanha 2016 da SBFa: “Seja amigo de sua voz –  A sua voz é sua identidade!”.

Ela comenta que os problemas mais comuns que prejudicam a voz são aqueles que afetam a região da laringe. “Podem ser de origem orgânica, como gripes, laringites e faringites, entre outras doenças comuns, ou mais sérias, como o câncer de laringe; e podem também ser originárias de uso vocal intenso, com muito esforço, o que pode levar a irritações das pregas vocais, dificultando seu funcionamento”, explica.

Para evitar essas complicações, a professora recomenda sempre manter atenção à saúde em geral, e compreender que a voz deve ser emitida sempre sem esforço excessivo. “Há alguns cuidados básicos, como manter-se hidratado, tomando água em pequenos goles o dia todo, manter uma alimentação saudável e evitar ambientes com fatores geradores de alergias”, aponta.

Fonoaudiologia - Amigos da VozE quando os assuntos são comida e garganta, Maria Lúcia comenta que há alimentos que produzem mais muco, outros que são mais adstringentes, outros que são irritativos ao trato digestivo e que, consequentemente, acabam interferindo na vibração das pregas vocais de forma indireta. “Atualmente o que se recomenda é ter bom senso e manter sempre uma alimentação saudável”, reforça.

Para um cantor, um professor ou algum profissional que utilize bastante a voz, especialmente mais alta, é recomendado um aquecimento. “As pregas vocais funcionam adequadamente por movimentos musculares e aerodinâmicos, e é muito bom que passem por um ‘aquecimento’ antes de serem utilizadas intensamente, tal qual um jogador de futebol, que se aquece antes de iniciar o jogo. Há alguns exercícios de aquecimento para favorecer a vibração das pregas vocais e outros de ressonância, que devem ser realizados antes do uso intenso da voz, mas que devem ser definidos e treinados inicialmente de forma pessoal, sem receitas padronizadas para todos”, esclarece a docente.

Já uma pessoa com problema de tosse constante pode ter a garganta afetada, segundo ela. “A tosse é uma ‘trombada’ das pregas vocais, que produz uma pressão de expulsão de elementos que estejam irritando a região e, sendo assim, se for muito constante, gera irritações que prejudicam a movimentação harmoniosa das pregas vocais para a fonação”, alerta. A professora aproveita para dar mais um recado: “rouquidão por mais de quinze dias precisa ser investigada por médico otorrinolaringologista e por fonoaudiólogo”.

Como curiosidade, Maria Lúcia finaliza mencionando que o tom da voz – a frequência fundamental – é originado pelo número de abertura e fechamento das pregas vocais durante a fonação. “Assim, se temos uma frequência fundamental de 220Hz – significa que a prega vocal vibrou 220 vezes por segundo”, destaca.