Home / Turismo / Notas do Turismo Paulista, 18 a 20 de Dezembro de 2015

Notas do Turismo Paulista, 18 a 20 de Dezembro de 2015

SANTO ANTÔNIO DO PINHAL

santo antonio do pinhal
Lugares agradáveis em Santo Antônio do Pinhal. Foto Ken Chu.

A estância climática Santo Antônio do Pinhal está localizada nas proximidades de Campos do Jordão. A cidade faz parte do Circuito Turistico da Mantiqueira.
A região é rica em atrativos naturais e diversidades culturais. O visitante pode conferir montanhas, picos, rios, vales e ecoturismo junto à natureza. Para quem busca aventura, opções não faltam, como escalada, rapel, arvorismo, trilhas, off-road, voo livre, entre outros.
O clima de montanha e a abundância de araucárias na região é uma das suas melhores atrações. Principalmente nos meses mais frios entre maio e agosto, época em que outro destaque é a Festa do Pinhão.

 

 

NAS MONTANHAS

Os que preferem o ar de montanha precisam aproveitar as vantagens de Santo Antônio do Pinhal, um lugar ótimo para lazer, descanso, sossego, trilhas, cachoeiras e mirantes. Uma dezena de pousadas e vinte restaurantes estão à sua disposição.
Nos primórdios, a cidade foi disputada pelas capitanias de São Paulo e Minas Gerais. Hoje, o seu maior atrativo é o clima frio dos seus 1.143m de altitude. Os turistas ainda se deliciam com chocolates artesanais e outras iguarias do lugar. Visite Santo Antônio do Pinhal.


 

TRIBUTO REDUZIDO

Embora sempre as nossas recomendações sejam dirigidas para que você viaje e aproveite o turismo dentro do Estado de São Paulo, cabe-nos informar que os Operadores de Viagens e as Agências de Viagens nacionais, a partir do dia 1º de janeiro de 2016 poderão fazer remessas de valores para o exterior com a taxa reduzida para 6,38%, conforme nos informa a Fenactur, a Federação Nacional do Turismo.
O atual Secretário da nossa Receita Federal estava querendo aplicar a “modesta” taxa de 33%. Vejam só!


 

ESTÂNCIA TURÍSTICA DE PIRAJU

Piraju, vista do hotel.  Foto Maristela Bignardi.
Piraju, vista do hotel.
Foto Maristela Bignardi.

Quando este colunista escreve e recomenda para o leitor visitar as cidades do Interior e do litoral do Estado de São Paulo, não se trata de uma efêmera comunicação, mas sim uma realidade muito fácil para quem mora na Capital (de onde sai o maior número de turistas), eis que, com poucos quilômetros de boas estradas, ele pode estar em cidades agradáveis.
Para não dizer que se trata apenas de uma informação qualquer, nós mesmo estaremos passando o réveillon num ‘pacote’ baseado em Piraju. No réveillon passado estivemos na cidade de Itu, e no ano retrasado na cidade de Socorro, no excelente Grínberg’s Village.
Portanto, quando você pensar em aproveitar seus dias de folga para agradáveis passeios, em lugares bonitos, bons passeios, boa comida, e bons hotéis e serviços, sempre cercado de povo cordial, então desfrutes as cidades do Interior Paulista. Afinal, temos 70 Estâncias Turísticas e outros 140 municípios de Interesse Turístico à sua disposição.

 

 


 

34 MILHÕES PARA ESTÂNCIAS

Na semana que passou, o Governador Geraldo Alckmin assinou convênios repassando 34 milhões de reais para diversas Estâncias Turísticas do nosso Estado. Trata-se de parte da verba do DADE (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias).
Desta vez, as cidades que estarão recebendo tal verba são as seguintes: Amparo, Aparecida, Águas da Prata, Barra Bonita, Caconde, Campos do Jordão, Guaratinguetá, Ilha Comprida, Ilha Solteira, Itanhaém, Itú, Monte Alegre do Sul, Morungaba, Nuporanga, Olímpia, Peruíbe, Piraju, Poá, Socorro e São Pedro.


 

É VERBA PARA O TURISMO!

Águas de Lindóia recebeu perto de 2,5 milhões de reais.  Foto Miguel Schincariol.
Águas de Lindóia recebeu perto de 2,5 milhões de reais.
Foto Miguel Schincariol.

É uma verba do Turismo para ser aplicada no Turismo de cada uma dessas cidades. Espera-se que haja transparência na correta aplicação para que o dinheiro seja empregado exclusivamente nos itens que venham atender os turistas de tais cidades.
Até porque, tudo o que se faz para o turista está também sendo feito para a própria população.
Para outras finalidades as prefeituras devem recorrer a outras Secretarias de Estado, pois todas as demais Secretarias detêm verba muito maior do que a nossa pobrezinha Secretaria de Turismo que tem uma verba ridícula.
Há também as diversas verbas federais, enquanto elas não forem ‘desviadas’ para os corriqueiros trambiques federais.

 

 

 

 

(texto de Jarbas Favoretto, MTb 32.511 – 12/2015)