Home / Esporte / Tocha Olímpica atravessa Araraquara com festa e ruas lotadas

Tocha Olímpica atravessa Araraquara com festa e ruas lotadas

Os araraquarenses foram às ruas para expressar o seu espírito olímpico na manhã desta segunda-feira, dia 18, durante o revezamento da tocha olímpica em sua passagem pelo interior paulista. No total, 38 pessoas carregaram o símbolo olímpico, ao longo do percurso de 7,5 quilômetros. Entre eles, estavam os atletas Lauro Chaman (ciclista paralímpico), Roseli Gustavo (ex-jogadora de basquete da Seleção Brasileira) e Osmar Alberto Volpe (Pio, ex- jogador da Ferroviária), além de condutores selecionados pelas instituições patrocinadoras.

Entre o público que saudou o símbolo da união dos povos pelo esporte e as histórias de superação das pessoas que a carregaram pelas ruas da cidade estava a dona de casa Fabíola de Carvalho, moradora do Jardim dos Maracás. Ela acordou cedinho e levou seu filho Davi, de apenas um ano de idade, para presenciar esse momento histórico. O servidor da Receita Federal João Batista e seus colegas de trabalho também aproveitaram a hora do café para assistir de camarote, do muro da empresa, a abertura do evento.

Coube ao bancário desempregado Warlen Barbosa a honra de iniciar o trajeto na cidade. “Estou até tremendo, muito feliz pela grandeza do esporte Olímpico”, diz o primeiro condutor selecionado por uma das empresas patrocinadoras. Depois dele, uma série de outras pessoas, entre eles o estudante de administração pública Charles Vinícius selecionado por ter superado uma barreira da educação por ter vindo do interior de Minas Gerais.

Trabalhadores do comércio, cidadãos comuns, crianças e adolescentes lotaram as ruas do percurso, esperando o momento de ver a tocha. Muita correria ao longo do caminho, e várias “selfies” foram tiradas para registrar esse acontecimento memorável. Na Rua São Bento, próximo ao Parque Infantil, o maratonista Beto Pela Fé teve a honra de conduzir a tocha. Foram apenas 200 metros para quem está acostumado a longas distâncias, mas, segundo ele, é o maior troféu que poderia receber na vida.

O vendedor Fernando de Freitas Egea aproveitou as férias de seu trabalho para pegar a bicicleta e acompanhar de perto o evento. “Sou um amante dos esportes, então, para mim, é importante, pois é a primeira vez que a tocha olímpica passa pelo Brasil”, contou. “Tem gente criticando, mas acho besteira. Tem tanta coisa ruim para apagar. Deixa a tocha aí!”

Para o ciclista paralímpico Lauro Chaman, que disputará as Paraolímpiadas, tudo é um grande  honra. “Poder participar do maior evento do universo é demais e conduzir a tocha é uma realização tanto para mim quanto para a minha família”, conta o ciclista abraçando a mãe e a avó. Com a câmera fotográfica em punho, a representante comercial Fabiana Katsue Inoue veio de Matão para acompanhar o revezamento em Araraquara. “Somos brasileiros, não é verdade? Precisamos curtir esse acontecimento único. Quem sabe se e quando vai acontecer de novo.”

Particularmente emocionado estava o professor de capoeira Ronildo Soares dos Santos, da Associação de Capoeira Geração do Quilombo. Em parceria com a Associação Cultural Ary Luiz Bombarda, ele trabalha com mais de 400 crianças da periferia da cidade, ensinando capoeira, muai thai e cidadania. A equipe do projeto trouxe um grupo de crianças para acompanhar um momento muito especial: a participação da advogada Jéssica dos Santos no revezamento da tocha olímpica.

Jéssica entrou para o projeto ainda pequena, como eles. “Desde menina, sonhava em ser advogada. Conseguimos uma bolsa de estudos para ela, que se formou e acabou de ser aprovada no exame da OAB. Mandei a sua história para a Coca-Cola e ela foi selecionada”, conta o professor emocionado e orgulhoso. “É importante estar aqui, mostrar para eles aonde podem chegar. O esporte proporciona essas oportunidades.”

“Eu não esperava e estou muito feliz”, conta emocionada a advogada e capoeirista Jéssica dos Santos. Coube ao ex-jogador Osmar Alberto Volpe, o Pio, encerrar o ciclo na Arena da Fonte e no palco com aplausos, música e muita empolgação.

A passagem da Tocha não gerou gastos ao município. Tudo foi custeado pelos patrocinadores, os quais também proporcionaram as atrações musicais nos caminhões acompanhando os condutores da tocha olímpica. O encerramento do percurso foi na Arena da Fonte. Por lá, apresentações de dança, capoeira e taiko. O ex-jogador Pio, o último a levantar a tocha em Araraquara, participou do ritual de armazenamento da chama na lamparina olímpica antes que ela partisse em viagem pelo interior paulista.

A tocha olímpica no Brasil

  • Saiu de Olímpia, na Grécia
  • Começou o trajeto no dia 3 de maio, às 16h, em Brasília (DF)
  • No total, mais de 20 mil km (21.293) serão percorridos
  • Passará por 22 estados
  • 252 cidades já foram visitadas
  • 329 cidades brasileiras serão visitadas no total
  • Terá 12 mil condutores no Brasil