Home / Gastronomia / Todos querem ser chef

Todos querem ser chef

Workshop de culinária é tendência para promoção da boa gastronomia

Chef Joao Paulo Papandre Lemos - workshoo Bendita Porchetta
Chef João Paulo Papandre Lemos

 Existe uma hierarquia interna nas cozinhas onde o chef de cozinha e cozinheiro são carreiras diferentes. A base da pirâmide são os ajudantes de cozinha, sempre em maior número e responsáveis por manter a limpeza do local de trabalho dos cozinheiros, higienizar, picar e pesar os ingredientes. Em seguida, estão posicionados os cozinheiros, quem realmente trabalha na frente das panelas, com a preparação dos pratos e muitos jovens recém-formados em cursos de gastronomia começam a carreira nesta função. Os confeiteiros aparecem no mesmo patamar dos cozinheiros, a diferença é que se encarregam da preparação das sobremesas, doces e recheios. No ponto mais alto desta hierarquia está o chef responsável pela equipe e por gerir todos os empregados da cozinha. Existe ainda o subchef quem dá suporte ao chef e a função do sommelier é elaborar a carta de vinhos que acompanham os pratos do cardápio desenvolvido pelo chef. A tendência é que cada vez menos o mercado aceite pessoas que aprenderam a profissão de cozinheiro e chef de cozinha na prática, mesmo passando por todos os níveis de hierarquia da cozinha. Dentre as atribuições do chef de cozinha constam além da preparação dos pratos e elaboração do cardápio, o cuidado com os alimentos, inclusive com seu processo de produção, o controle da limpeza do estabelecimento, o desenvolvimento de pesquisas sobre a gastronomia brasileira, a confecção do cardápio e a utilização dos instrumentos típicos de um banco de gastronomia (fatiador, balança, etc).

escultura de costela - joao paulo papandre lemos
Escultura de costela

“Workshops de culinária e de pratos típicos premiados são uma tendência para a promoção da gastronomia, com participação de profissionais de diversas profissões e ambos os sexos, que se prestam ao papel de chef de cozinha informal em família, principalmente aos finais de semana, quando se reúnem para comemorações diversas”, comentou o arquiteto e chef de cozinha araraquarense, João Paulo Papandré Lemos, acompanhado do chef Everaldo Molina em dia de curso de gastronomia realizado no último domingo.

Três projetos de lei tramitam na Câmara Legislativa Federal sobre a regulamentação do setor de alimentação com foco no turismo gastronômico nacional. A proposta visa promover uma imagem mais positiva do Brasil relacionada à qualidade, riqueza e diversidade da cozinha brasileira junto aos turistas estrangeiros, o que justificaria regular a profissão de gastrônomo como forma de se preservar e promover os pratos tipicamente brasileiros.